ALGÚEM NOS CONTOU...

Nossos avós, amigos antigos e outros sucessores, da década de 30, 40, 50, 60 que sempre veraneavam na Ilha de Itaparica, nossa realidade, especialmente em lugarejos cujo meio de vida era a pescaria, passavam para nós, ainda crianças, algumas histórias que diziam ser histórias de pescador (interessantes, crativas, engraçadas, e na maioria das vezes nos deixavam em dúvidas quanto a sua verdade).

Para ser mais realista quanto ao local posso então me reportar à Cacha-Pregos - por ser uma antiga colônia de pescadores, com belíssima praia, onde havia freqüência de muitos veranistas, principalmente os nossos antecessores que veraneavam com mais assiduidade.

Entendíamos então que os pescadores ao voltar da pescaria ficavam reunidos na praia, costurando, remendando as redes e conversando amenidades relacionadas ao serviço no mar e na comunidade onde viviam. Eles, por sua vez, contavam muitos casos os quais, na sua maioria deixavam dúvidas quanto a sua verdade dando margem a se desconfiar da veracidade dos mesmos.

Hoje moramos Cacha-Pregos e junto a outros amigos que residem aqui observamos que há grande interesse na comunidade em geral em resgatar casos que se escutava “antigamente.”

Diante disso convido a todos que se interessar por esse tópico – ALGUÉM CONTOU... – enviar casos interessantes, que possam ou não ser de pescador, mas que sejam entendidos como se fosse, com intuito de resgatar uma cultura como forma de entretenimento.

Com a finalidade de oferecer conteúdo de entretenimento e enriquecimento do nosso Blog convidamos a quem se interessar pelo tópico ALGÚEM CONTOU... que escrevam suas histórias

Contamos com vocês.

Atenciosamente
Aurita e Walter
Para iniciar vou contar um caso que não é tão antigo, mas já tem algum tempo que...

Comentários  

 
0 #4 ALGÚEM CONTOU...Administrator 27/03/2012 18:03
Que passa pela Ilha Itaparica uma corrente cósmica que energiza a ilha e a todos aqueles que chegam para passear, morar, veranear, trabalhar. E que o efeito dessa energia faz as pessoas se sentirem muito bem e mais saudáveis. Contam ainda, que são três santuários no mundo que emanam essa energia cósmica para a terra. Um na Europa outro na Ásia ou África e um terceiro na América do Sul que fica na Ilha Itaparica, que por sua vez está localizado em Cacha-Pregos. Observa-se então que, todos que aqui chegam para passear ou veranear se sentem tão bem tornando difícil o retorno para casa. Por essa razão observa-se que muitos que vieram a passeio, após algum tempo, a exemplo de aposentadoria, retornam e fixam residência, ficam para sempre e até com o desejo de se enterrar em Catú .
Citação
 
 
0 #3 ALGÚEM CONTOU...Administrator 27/03/2012 18:02
Certo Pescador de Cacha- Pregos quando em Salvador, numa das suas viagens à Bahia, (como os moradores chamavam a capital naquela época) pegou um bonde e saltou no Terreiro de Jesus. Foi andando pela Rua Chile subiu a ladeira de São Bento e foi até a Praça da Piedade. Ao chegar ao destino ele deu por falta do seu anel de ouro, muito valoroso. Com a certeza de ter saltado do bonde com o Anel ele foi para casa, pegou uma linha com um anzol, voltou e fazendo o mesmo trajeto arrastando a linha com o anzol, pelo chão. Ao chegar perto da Praça da Piedade, sentiu algo diferente pesar na linha, então resolveu puxar e para sua surpresa, o que encontrou? O ANEL!!!!!! Ficando muito contente com o achado. Ao chegar a Cacha-Pregos o referido Senhor espalhou o fato para todos os amigos. Foi uma gargalhada só!!!!!!!!!!!!!

Renato Valeriano de Souza Filho disse...
Citação
 
 
0 #2 ALGÚEM CONTOU...Administrator 27/03/2012 18:02
Que havia um Senhor na comunidade,(Cac ha Pregos) que gostava muito de fazer pescaria. Certa vez ele foi pescar e colocou um relógio suíço, antiguíssimo, jóia de família, como chumbada e terminou perdendo o relógio na pescaria. Outro dia ao sair para pescar ainda chateado com a perda do relógio retornou ao mesmo local onde havia perdido a relíquia. Nesse dia, ele pegou alguns peixes e dentre eles um grande e bonito bagre. Levou para casa e deu a sua esposa para tratar. Ao abrir o peixe ela foi surpreendida com som do – Tic tac! Tic tac! Tic tac! Tic tac! – e com surpresa encontrou o relógio em perfeito estado de funcionamento. Este episódio é contado até hoje como forma divertida de relembrar o fato.
(Colaboração de visitante anônimo)
Citação
 
 
0 #1 ALGÚEM CONTOU...Administrator 27/03/2012 18:01
Certo Pescador quando em Salvador, numa das suas viagens à Bahia (como os moradores chamavam a capital naquela época) pegou um bonde e saltou no Terreiro de Jesus. Foi andando pela Rua Chile subiu a ladeira de São Bento e foi até a Praça da Piedade. Ao chegar ao destino ele deu por falta do seu anel de ouro, muito valoroso. Com a certeza de ter saltado do bonde com o Anel ele foi para casa, pegou uma linha com um anzol, voltou e fazendo o mesmo trajeto arrastando a linha com o anzol, pelo chão. Ao chegar perto da Praça da Piedade, sentiu algo diferente pesar na linha, então resolveu puxar e para sua surpresa, o que encontrou? O ANEL!!!!!! Ficando muito contente com o achado. Ao chegar a Cacha-Pregos o referido Senhor espalhou o fato para todos os amigos. Foi uma gargalhada só!!!!!!!!!!!!!
Citação
 

Adicionar comentário


Código de segurança
Atualizar